A LEVEZA NOS PÉS DA BAILARINA

 

 

1º de setembro por Mariana Tedesco Hufnagel,

aluna da 3a série do Ensino Médio

 

 Pés doloridos, dedos comprimidos nas sapatilhas de ponta, panturrilhas doendo, bolhas e calos, respiração ofegante e suor pelo corpo todo após uma aula daquelas. E ao mesmo tempo, a sensação de a cada pulo ter conseguido alcançar as estrelas, ou ao dar uma pirueta senti-la dos pés a cabeça. Tudo isso a transforma em uma bailarina completa.

Hoje, 1º de setembro, é o dia da bailarina. Acredito que mesmo sendo o dia das meninas e meninos donos de ilustrar a beleza em cada passo dado, é dia de todos os que dançam, por que ambos traduzimos em nosso corpo o que estamos sentindo a partir da dança.

“A bailarina

 

Esta menina

tão pequenina

quer ser bailarina.

Não conhece nem dó nem ré

mas sabe ficar na ponta do pé.

 

Não conhece nem mi nem fá

Mas inclina o corpo para cá e para lá

 

Não conhece nem lá nem si,

mas fecha os olhos e sorri.

 

Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar

e não fica tonta nem sai do lugar.

 

Põe no cabelo uma estrela e um véu

e diz que caiu do céu.

 

Esta menina

tão pequenina

quer ser bailarina.

 

Mas depois esquece todas as danças,

e também quer dormir como as outras crianças.”

 

Cecília Meireles

 

P-A-R-A-B-É-N-S á nós que dançamos e não nos cansamos de viver e reviver a magia da dança. E que desde pequenininha sonhamos em nos vestir de rosa e tornar nossos sonhos em realidade.